A casa pode estar uma bagunça, com paredes manchadas clamando por uma pintura ou um piso que precisa de atenção. Porém, para algumas pessoas, é só pensar em reforma – quebra-quebra, poeira, dinheiro… – para decidir postergar mais um pouco. Se você se identificou com essa situação, selecionamos algumas dicas para, quem sabe, dar o empurrãozinho que faltava para tomar a iniciativa e organizar os próximos passos. As dicas são do arquiteto Glaucio Gonçalves.

 

A Norma 16.280 da ABNT estabelece regras para reformas em apartamentos e salas comerciais, entre elas, o acompanhamento de arquiteto ou engenheiro. Por isso, procure um profissional que entenda suas necessidades. Também pesquise trabalhos anteriores que ele tenha realizado. O gerenciamento da obra é fundamental para o resultado final.

 

1. Organize a demanda. Liste com detalhes o que precisa ser reformado, tamanhos e como deve ficar. Por exemplo: piso da sala, 20 m², trocar para porcelanato. Coloque essas informações em uma planilha.

 

2. Complete a listagem com a quantidade de materiais necessária e pesquise preços. A internet é uma excelente ferramenta. Inclua custos de mão de obra. Dessa forma, você consegue ter uma estimativa bem aproximada do custo total da reforma.

 

3. Compare esse valor com sua proposta de investimento. Ficou muito caro para quanto está disposto a gastar? Corte algumas coisas ou troque alguns materiais.

 

4. A mão de obra deve ser procurada com calma. Nessas horas, solicitar indicações para amigos ou conhecidos normalmente é uma boa saída.

 

5. Para proteger os móveis e objetos de decoração da poeira – sim, ela é inevitável – embale com plástico ou lona. Alguns são vendidos com adesivos de fixação em lojas de materiais de construção. Tranque os cômodos livres e remova cortinas e tapetes.

 

6. O entulho deve ser descartado em caçambas apropriadas. Oriente os pedreiros a organizarem o lixo corretamente.

 

7. Apesar de estar sendo orientado por um profissional, acompanhe a obra para verificar se tudo está saindo conforme desejado. Será mais difícil corrigir algum erro depois de tudo pronto.

 

8. Dica importante: concilie os pagamentos para os prestadores de serviços na entrega do trabalho, nunca antecipado ou à vista. Você pode pagar por semana e finalizar o débito na conclusão.

 

9. Quando escolher os fornecedores, não avalie somente custo, e sim custo-benefício. Escolher o mais barato pode significar ter que refazer.

 

10. Toda a obra está sujeita a contratempos: o tempo que não colabora, entrega de materiais errados… Pense em alternativas de forma tranquila e em conjunto com os fornecedores para encontrar a melhor solução.

 

11. O cronograma direciona o trabalho, mas não deve ser rígido. Algumas etapas podem ser cumpridas em ordem trocada, para melhor resultado. Seja flexível quanto a isso e, se ficar com dúvidas, converse com os responsáveis pela reforma.

 

12. Respire fundo. Melhorias em um imóvel geram expectativa e ansiedade. Lide com calma com as situações e trabalhe em parceria com os profissionais. O resultado será muito mais satisfatório.

 

Gostou, compartilhe , de sugestões para novos posts, escreva sua dúvida!

fonte: http://bit.ly/1qscr6o