É muito comum ouvir as pessoas confundindo os termos “incorporadora”, “construtora” e “imobiliária”. E realmente é fácil de se confundir, mesmo profissionais que atuam no mercado imobiliário. Porém, esses três tipos de empresas têm funções específicas e bem determinadas. Veja abaixo:

Incorporadora

A incorporadora é a principal responsável por realizar um empreendimento. Isso significa definir uma região-alvo, prospectar terrenos, definir produto, fazer as contas financeiras de viabilidade, efetuar as aprovações, permitir a venda, cobrar a construção no prazo, entregar as unidades e receber o dinheiro. Resumindo, a incorporadora é a “dona” do empreendimento.

Como exemplo, temos incorporadoras como Tecnisa, Gafisa, Cyrela, Even, dentre outras.

Construtora

A construtora tem uma função bem determinada: executar o processo de construção (obra). Normalmente ela é contratada pela incorporadora, como uma prestadora de serviço. Dessa forma, a construtora deve construir o projeto de acordo com o projeto da incorporadora aprovado na prefeitura no prazo e preço combinados entre as partes. A construtora normalmente tem como recursos: mão-de-obra, maquinário e engenheiros.

Como exemplo, temos construtoras como Queiroz Galvão, Camargo Corrêa, Odebrecht.

Imobiliária

A imobiliária, assim como a construtora, é contratada pela incorporadora para vender aquele empreendimento. É uma função muito específica e chave no processo imobiliário. As imobiliárias disponibilizam seus gerentes, coordenadores, corretores e recursos para vender os imóveis para bons clientes e garantir a assinatura do contrato. Toda a gestão de recebíveis é função da incorporadora.

Fonte:  imovelbid.com.br